fbpx

Endometriose é uma Condição Progressiva?

Endometriose é uma condição progressiva?

A endometriose é uma condição crônica em que o tecido semelhante ao endométrio (revestimento uterino) cresce fora do útero. Com a endometriose, o revestimento é frequentemente encontrado crescendo nos ovários e nas trompas de Falópio, mas também pode ocorrer na vagina, reto, vulva, intestino e bexiga. Embora possa se espalhar além da pelve, isso raramente acontece.

A endometriose progride?

A endometriose é geralmente considerada uma condição progressiva, embora nem sempre seja o caso de todas as pessoas com a doença.

Em adolescentes com endometriose, a progressão pode ser difícil de avaliar e acompanhar. Isso ocorre porque quando a endometriose é diagnosticada, as lesões são frequentemente removidas ou destruídas cirurgicamente (ablação).

Durante a laparoscopia, procedimento cirúrgico que permite ao cirurgião fazer pequenas incisões no abdômen e inserir um tubo fino com uma câmera na extremidade para visualizar os órgãos, pode ser um desafio diferenciar entre a progressão da doença e as aderências do tratamento anterior. Às vezes, as lesões podem até desaparecer e reaparecer, se forem particularmente leves.

Os impactos dos atrasos no diagnóstico

Após o início dos sintomas, a maioria das mulheres leva mais 7 a 12 anos antes que a condição seja diagnosticada cirurgicamente. Às vezes, a dor pélvica crônica associada à endometriose ocorre antes mesmo do início da menstruação, ou menarca, o que torna o diagnóstico desafiador. 

Muitas vezes, a dor é descartada como cólicas menstruais típicas ou simplesmente pode ser minimizada pelos profissionais de saúde. Como a dor não está necessariamente correlacionada com a disseminação da doença, no momento em que o diagnóstico ocorre, a endometriose pode ter se espalhado consideravelmente, afetando outros órgãos e a fertilidade futura.

Esse atraso no diagnóstico pode resultar em anos ou décadas de dor desnecessária, bem como potenciais efeitos colaterais negativos e duradouros. Algumas mulheres não têm dor, e a endometriose só é diagnosticada por investigação devido a outra condição, como infertilidade.

Perspectivas e gerenciamento

Se a endometriose não for controlada ou diagnosticada após um longo período, a infertilidade é uma das complicações mais comuns da doença. Estima-se que um terço das mulheres com endometriose tenham alguma dificuldade em engravidar. Isso ocorre porque o crescimento excessivo de tecido endometriótico pode obstruir as trompas de Falópio, impedindo a concepção ou tornando-a extremamente difícil.

Embora a endometriose possa ser progressiva, o diagnóstico e o tratamento precoces são cruciais para o melhor resultado e alívio dos sintomas. Quando os primeiros sintomas surgirem, ligue para o seu ginecologista. Ele perguntará sobre seus sintomas, incluindo há quanto tempo você os apresenta e quão graves eles são. 

Seu ginecologista provavelmente também fará um exame pélvico, onde ele poderá palpar seu útero e sentir quaisquer áreas que possam ter cicatrizes ou acúmulo de tecido. Eles também podem solicitar exames de imagem como um ultrassom e, se necessário, encaminhá-la a um cirurgião se o diagnóstico cirúrgico for necessário. 

O diagnóstico e o tratamento precoces também podem reduzir potencialmente o risco de progressão da doença e ajudar a preservar a fertilidade e minimizar os efeitos negativos sobre a saúde e a qualidade de vida.

Não deixe para depois o cuidado com sua saúde e sempre pergunte ao seu médico caso tenha dúvidas. A sua saúde deve ser prioridade.

Lembre-se: a Clínica Ayroza Ribeiro está sempre de portas abertas para recebê-la.