Além do Cansaço: como a fadiga afeta sua vida

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Como a fadiga afeta sua vida

A matéria de hoje aborda um conteúdo de tamanha utilidade para os dias atuais, afinal, como o cansaço e a fadiga podem atuar em nossas vidas? Acompanhe a seguir:

Sentir-se fadigado não corresponde apenas ao cansaço ou esgotamento físico e mental. Essa sensação pode determinar diversos estados de saúde, afetando todos os setores vitais de quem a sente. Para compreendermos os reais motivadores da fadiga, nos pautamos na Pesquisa de Fadiga e Saúde datada de março de 2020, em que coletamos diversos relatos de pessoas que convivem com condições crônicas de saúde e analisamos suas experiências e aflições. Não deixe de ler o conteúdo até o final.

Como se dá a fadiga?

Essa recorrente indisposição, atinge um fluxo latente de pessoas, causando preocupação e mal estar para quem a vivencia. Pessoas que sofrem com enxaqueca, DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), endometriose ou câncer, experienciam cansaço crônico quase que constantemente.

Em muitos dos relatos, observamos pacientes se queixando de suas atuais condições de saúde, sejam elas físicas e/ou mentais. Para ser mais específico, a cada 10 contribuintes, 6 apresentavam algum tipo de queixa. Já outros participantes do estudo, culparam o sono ou a falta dele, assim como fortes dores, desencadeando graves episódios de fadiga.

A fadiga a nível emocional

Baseado nesse estudo, observamos que muitos indivíduos convivem com essa condição e suas implicações, por incontáveis anos, o que não deve ser considerado normal, afinal conviver com incômodos ou dores , pode ser extremamente prejudicial à vida de qualquer pessoa. Segundo a pesquisa, 24% do grupo lida com a fadiga há 3 anos, enquanto 48% encara o problema há 5 anos ou mais. 4 em cada 10 revelou que essa sensação se agravou com o tempo.

Achismos e suposições a respeito da vida com essa condição

A compreensão se dá de maneira restritiva e errônea para aqueles que não vivenciam os impactos dessa severa condição. Questionamentos infelizes podem agravar o mal-estar vivenciado pelos combalidos por esse problema de saúde. É o que grande parcela deste estudo afirma.

A importância de sentir-se confortável falando sobre o que te incomoda

A fadiga é difícil de explicar, mais ainda de controlar

Além de comprometer diversos aspectos vitais, controlar seus sintomas pode ser uma tarefa árdua e de extrema complexidade. Somente 7% dos contribuintes da Pesquisa de Fadiga e Saúde, consideram que sua condição está sendo bem administrada, seja através de medicamentos prescritos ou então por meio de terapias alternativas.

Sentir-se acolhido e compreendido, traz grandes resultados

Você já se perguntou: Por que controlar a fadiga é tão complicado? Diversos contribuintes desse estudo apontaram que a relação médico-paciente é de extrema relevância para incentivar ou depreciar qualquer que seja o tratamento.Quando indagados sobre relatar os sintomas de fadiga a um especialista, muitos dos nossos colaboradores discorreram sobre a irregularidade na abordagem profissional, assim como a falta de tato e profissionalismo por parte de seus médicos. Somente 32% dos entrevistados disseram concordar com a abordagem clínica a respeito da fadiga e seus sintomas. Enquanto isso, 20% afirmou estar desenvolvendo, junto a seu médico, táticas para tratar essa condição crônica da melhor forma possível.
Nossa clínica se preocupa com essa situação, afinal, se os pacientes estão encontrando dificuldade em relatar o que estão passando com um especialista, imagine se expor para a família e pessoas que não convivem com a fadiga?

Não se esqueça, você nunca está sozinho

Sabemos que a fadiga e o cansaço influenciam diretamente o dia a dia de quem os enfrenta, mas pontuamos a importância de nunca se sentir sozinho, afinal existem diversos grupos de apoio para tratar o assunto, assim como profissionais altamente qualificados e preparados para te escutar e acolher. Conte conosco!Você não está sozinho.


Ayroza Ribeiro.