Endometriose e Refluxo Gastroesofágico

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Endometriose e Refluxo Gastroesofágico

Neste artigo iremos explicar a relação entre endometriose e refluxo gastroesofágico, um sintoma incomum da doença. Confira.

Já escrevemos antes sobre a sobreposição que existe muitas vezes entre a endometriose e outras condições relacionadas e interseccionais, como adenomiose, cistos ovarianos, miomas e a síndrome do intestino irritável, também conhecida como SII. No entanto, você sabia que a endometriose muitas vezes também pode desempenhar um papel nos problemas gastrointestinais, incluindo a doença do refluxo gastroesofágico?

Hoje vamos compartilhar com vocês, um relato em primeira pessoa de uma paciente que enfrentou essa condição.

Especialistas em consultoria

À medida que a data da minha histerectomia se aproxima rapidamente, também tenho tentado marcar uma série de outros especialistas para outros problemas de saúde que tenho. E o consenso dos especialistas que tenho consultado tem sido mais ou menos o seguinte: “vamos esperar e ver se as coisas melhoram após a cirurgia, pois problemas reprodutivos podem ser uma causa contribuinte”.

A conexão entre a endometriose e outros sintomas

Percebi que meus problemas da síndrome do intestino irritável (SII) estavam correlacionados com o desenvolvimento da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE).

Se eu tiver constipação ou muito inchaço e gases em uma determinada noite, noto que também são noites em que meu refluxo tende a ser pior. Meu novo gastroenterologista me explicou que todo aquele acúmulo e inchaço na extremidade inferior do meu trato digestivo pode levar a mais pressão sobre meu estômago, exacerbando minha DRGE. 

Mas, eis a questão: eu sei que muitos dos meus problemas intestinais são definitivamente intensificados, se não completamente causados ​​pela minha endometriose e adenomiose. Também notei que meus sintomas de DRGE muitas vezes (mas nem sempre) tendem a piorar nos dias que antecedem e incluem minha menstruação.

Em uma cirurgia passada, muitas lesões endometrióticas foram encontradas estrangulando partes do meu intestino. Sua remoção aliviou significativamente muitos dos meus sintomas de SII por algum tempo. 

Além disso, tenho um útero inclinado que está inchado com adenomiose e vários miomas e se apoia fortemente no meu cólon, o que penso estar afetando diretamente minha função intestinal. E se isso está causando sintomas de SII e levando a outros problemas como constipação, é possível que ocorra um efeito dominó que também serve de gatilho para a DRGE.

Minha esperança é que, após a cirurgia, a remoção do útero doente e qualquer endometriose encontrada na cavidade pélvica aliviem consideravelmente a pressão nos intestinos e permitam uma digestão mais suave, em geral, contribuindo para uma diminuição acentuada das crises de DRGE. 

Eu sei que esses fatores não são os únicos contribuintes, a dieta também desempenha um papel. Mas acredito eliminar esse fator pode desempenhar um papel (talvez não insignificante) no meu tratamento da DRGE.

O que as pesquisas mostram sobre endometriose e refluxo gastroesofágico

A pesquisa de revisão por pares apoia a interseção e os efeitos da endometriose em problemas digestivos, como a DRGE. Um artigo publicado na IntechOpen, editora científica, observou: “Sintomas gastrointestinais como azia e dispepsia são significativamente mais comuns em mulheres com endometriose em comparação com controles sem endometriose pélvica”. Outro estudo, publicado em 2015 no periódico BMC Women’s Health, concordou com essa conclusão geral, afirmando: “A maioria das pacientes com endometriose apresenta sintomas gastrointestinais mais graves do que os controles”.

Por isso, é importante que as pacientes compartilhem com seus médicos de confiança todos os sintomas que se manifestem, de modo a poder compreender melhor como a endometriose impacta a qualidade de vida das mulheres que convivem com essa condição.

Ainda há muita pesquisa a ser feita sobre o assunto, mas gradualmente os dados são compilados e conseguimos vislumbrar as correlações sintomáticas em que a endometriose interfere.

Lembre-se: cuidar do seu corpo é um esforço constante e necessário.