Precisamos Falar sobre Dor na Relação Sexual

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Dor na Relação Sexual

Quando o assunto é sintomas da endometriose, geralmente falamos sobre menstruações dolorosas e difíceis, cólicas incapacitantes e dores pélvicas. Porém, poucas vezes se ouve falar sobre dispareunia, a dor na relação sexual.

Muitas vezes os médicos não abordam o tema durante as consultas para averiguar sintomas de endometriose e, quando o fazem podem não dar a importância devida ao falar sobre essa questão.

Dor na relação sexual como sintoma

A sexualidade feminina, e especialmente o prazer feminino, nunca foi uma prioridade para a sociedade em que vivemos e, por isso, a dor na relação sexual como sintoma da endometriose é muitas vezes encoberta. Os médicos não estão apenas relutantes em discutir o problema, eles geralmente não veem a necessidade de tratar esse sintoma específico. Todavia, para muitas de nós, o sexo é uma parte importante da vida. E só porque estamos lutando contra uma doença crônica, não significa que não podemos ou não devemos fazer sexo.

Tratamento

Felizmente, o sexo é uma atividade muito versátil e existem maneiras de minimizar a dor na relação sexual. Alguns profissionais podem aconselhar o uso de analgésicos meia hora antes de fazer sexo, porém convenhamos que essa opção pode tirar a espontaneidade das relações íntimas.

Para muitas pacientes com endometriose, nem todo sexo é doloroso. A penetração profunda (ou toda a penetração) geralmente é a prática que mais incomoda. É válido ressaltar a importância de testar diferentes posições para identificar aquelas que funcionam melhor para você.

Relaxamento

Certifique-se de ter muitas preliminares antes da penetração. Pode ajudar muito se o seu parceiro te ajudar a atingir um (ou mais!) orgasmos antes da penetração. Você ficará mais relaxada e seu corpo será menos suscetível à dor. A estimulação do clitóris é uma ótima maneira de começar e muitas vezes é uma das maneiras mais prazerosas de obter um orgasmo. Você pode até introduzir brinquedos em sua vida sexual para tornar as preliminares mais interessantes.

A temperatura do corpo e do ambiente ajudam a relaxar mais e contribuem para um sexo mais satisfatório. Certifique-se de que seu quarto está agradável e quente e se você tiver que usar meias ou fazer sexo sob o edredom, não hesite em fazê-lo! Você precisa ter certeza de que está o mais relaxada possível, pois o estresse pode contribuir para a inflamação da endometriose e aumentar a dor.

Outra maneira de relaxar é através da respiração. A respiração tem um grande impacto em como nos sentimos e em como estamos relaxadas, então tentar alguns exercícios simples e profundos de respiração pode fazer você se sentir muito mais tranquila.

Exploração e comunicação

Às vezes, leva um pouco de tempo para descobrir qual é a melhor maneira de desfrutar do sexo. Isso é verdade para todos, porém mais ainda quando há dor na relação sexual. A masturbação é muito útil para você se descobrir. Procure conhecer o que você gosta e aquilo que te dá prazer.

Quando você não precisa se preocupar com o prazer do seu parceiro, ou se ele está pensando que você demora muito para chegar ao clímax, é possível relaxar mais e realmente explorar o que você gosta. Quando você encontrar a maneira perfeita de obter os melhores orgasmos, poderá ensinar seu parceiro a agradá-la assim.

Não existe um jeito certo de fazer sexo. Todos nós descobrimos o que gostamos por tentativa e erro e com muita comunicação com nossos parceiros. Certifique-se de que a pessoa que divide a cama com você saiba o que é doloroso e o que não é e ele deve se ajustar às suas necessidades. Não tenha medo de ser criativa e, acima de tudo: divirta-se!