A conexão entre crises de endometriose e ansiedade

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
A conexão entre crises de endometriose e ansiedade

Neste artigo nós iremos abordar um assunto que muitas pacientes têm pedido em nosso blog: a conexão entre crises de endometriose e ansiedade. Confira!

Sabemos que pacientes com endometriose enfrentam desafios diários para gerenciar a saúde mental e que, muitas vezes, os profissionais de saúde não dão a atenção devida ao assunto. O fato é que há uma complexa rede de relação entre estresse, ansiedade e o metabolismo humano.

Existem muitas pacientes que sentem a ansiedade se transformar rapidamente em sintomas físicos. Os picos de estresse podem ser experimentados pela manhã, depois de uma noite mal dormida e, principalmente, antes e durante as crises de endometriose.

É claro que o dia a dia altera os níveis de estresse em nosso organismo, mas conviver com uma doença crônica é um fator agravante para os gatilhos de ansiedade. É importante estar atenta aos sinais e perceber quando as emoções se intensificam, levando ao início de crises que levam a pensamentos assustadores, alimentando um círculo vicioso muito prejudicial.

Durante uma crise pode ser muito frustrante sentir a incapacidade de realizar tarefas diárias e acabar potencializando esse sentimento ao prever e imaginar as coisas que não podemos fazer. Esse mecanismo é meio caminho andando para pensar que a vida não tem propósito ou que nos transformamos em um fardo para as pessoas.

Ansiedade, dores no peito, palpitações e até sangramentos podem surgir de episódios de estresse. A mente nos prega peças.

Às vezes, crises de endometriose são causadas por estresse

Durante períodos difíceis, a pele pode ser afetada pela acne e se você faz uso de hormônios para suprimir períodos e sintomas, manchas no corpo podem aparecer. No entanto, após uma crise de ansiedade é normal que o sangramento vaginal aumente de forma considerável.

Cada corpo traduz a enxurrada de hormônios que invadem o organismo quando o modo de luta ou fuga é ativado. Altos níveis de ansiedade, sem dúvida, podem se manifestar fisicamente.

Uma pesquisa, publicada no International Journal of Women’s Health, relacionou a endometriose com a ansiedade e foi muito conclusiva: pacientes com endometriose têm maior risco de desenvolver ansiedade, depressão e outros sintomas psicológicos.

Além disso, os níveis de ansiedade podem contribuir para o agravamento de qualquer desconforto. Se crises de endometriose começam e o estresse aumenta, o esperado é que o corpo fique tenso e, consequentemente, intensifique a sensação de dor. 

Para tanto, controlar os níveis de ansiedade requer manejo consciente, e não há abordagem certa ou errada, mas sim o que funciona para cada paciente.

Meditação não é para todas e tudo bem

Há pacientes para as quais a meditação não funciona, inclusive em alguns casos, podem até piorar os níveis de ansiedade.

Por isso, é importante buscar atividades que contribuam para a concentração de forma passiva. Desconectar o telefone da internet, deixá-lo longe do alcance e colocar uma música que te acalma pode ser uma opção. Às vezes o tricô auxilia bastante ou qualquer atividade que te relaxe e traga aconchego.

Em dias que não se tem energia para fazer quase nada, colocar um podcast interessante te direciona a pensamentos positivos. A ideia central é tentar deixar os pensamentos sob controle, assim a respiração fica mais lenta e os sintomas físicos perdem intensidade. Se todo esse processo te acalmar o suficiente para cair no sono, é uma vitória enorme.

Se você não se sente à vontade para falar sobre sua saúde mental com seu médico, procure um terapeuta

Pode ser que você se sinta mais confortável em falar sobre tudo que te aflige com uma psicóloga ou terapeuta. Uma escuta atenciosa de alguém que te ajude a perceber e lembrar os mecanismos que funcionam para você pode ser fundamental. Entrar no modo de autocuidado e se preservar tem um valor inestimável.

A ansiedade é uma condição com a qual muitas pacientes lutam e recebem pouco apoio. Se alguém está tendo uma crise de ansiedade ou um ataque de pânico, dizer-lhe que se acalme, medite ou faça ioga geralmente não ajuda. Os surtos podem ser incrivelmente perturbadores.

Nossas mentes precisam de tanto cuidado quanto nossa saúde física. E como o estresse e a ansiedade podem causar estragos em nossos corpos, reconhecer isso é o primeiro passo para uma existência melhor.

Caso tenha alguma dúvida, entre em contato conosco. Estamos aqui para te ajudar!

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28553145/